terça-feira, 7 de novembro de 2017

Sonho ou viagem?

Contagem regressiva
Em números e arte
Romance fez parte
E o momento
chegou

Encontro de olhares
Sorrisos e almas
É preciso calma
Por isso o casal
No embarque esperou

Portas em automático
A caminho do céu
Pra lua de mel
O avião já
Voou

Tudo mais que perfeito
Todos aqueles doces momentos
Jamais vão sair da memória
Agora é uma linda história
De AMOR!
💜🦋💜🦋💜🦋💜🦋💜🦋💜🦋

domingo, 5 de novembro de 2017

Música, melodia
Dança e ritmo
Despertam mudanças
Ecoam sons
Embalam corpos
Vibram tons

Transformam as cores
Preparam sentidos
Acordam cupidos
Provam sabores

Músicas, melodias
Canção ao  luar
É tempo de estar
Em qualquer lugar!
É tempo de magia
de fazer sonhar!

quarta-feira, 1 de novembro de 2017

Estou mais segura do que quero. E agora sei que quero voltar a escrever no meu blog. Não sei para quem escreverei. Ou melhor, sei! Vou escrever para mim!

Estou numa fase de busca. Quero algo diferente do padrão que mantive nos últimos anos. Sinto que a borboleta está saindo do casulo. Não interessa se o mundo enlouqueceu. Ou se sou eu a maluca. O que importa é sentir!

Por que as pessoas têm que ser tão racionais? Será que o mundo não percebeu que deve haver equilíbrio? Muitos não perceberam. O difícil é ter que conviver com pessoas que sentem medo de sentir. Sen - ti - men - to. Eita palavra estranha. Tenho que pesquisar sua etimologia. Talvez, assim, consiga entendê-la melhor.

Madrugada. Há tantos sentimentos borbulhando... gosto da palavra "borbulhar"... me vejo olhando para a água esquentando, esquentando, esquentando... ops! Bor bu lhas! Consigo ouvir a musicalidade das bolhas. E, falando em música, umtexto que escrevi em 19 de outubro:

"Eu te amo como uma música inédita, linda e emocionante. Uma canção de amor. Sim, eu me permiti viver esse amor. Eu quis ouvir essa música..."

Aí me pergunto: há motivos para arrependimentos? Jamais! É hora de enfrentar as decisões. Decidi, ouvi, me emocionei. Agora a emoção é outra. Afinal, não se ama sozinha. O verbo amar  é plural. Ele é, por natureza, mais de um. E se o amor não é valorizado, deixa de ser amor, passa a ser saudade.

E, assim, estou aberta e pronta para amar de novo... porque sei que, no universo, um amor real e possível me espera. 

Em 18 de outubro:

"Estamos dividindo. Dividindo amor, angústias, momentos... vivendo uma linda história. Adorei! É uma história! Estou feliz por viver essa história.

Rodopiando no meio do furacão, e, mesmo assim, feliz.
Vento forte me levando, e eu? Feliz!
Preocupada e, muitas vezes confusa, porém, feliz!

E, principalmente, reunindo lembranças boas. Elas estão ficando marcadas, registradas na minh´alma, na minha vida.

O resto, está indo com o vento... e quero viver cada toque, cada sabor, cada perfume, cada som... que venham melodias para nos embalar. As melodias podem variar, às vezes agradam, outras pertubam... ou simplesmente ecoam pra nos despertar "vida":

Um rock metal descontrolado e sem ritmo, ou batidas de filme de suspense...
Um blues, um jazz.
Ou quem sabe um mantra.
Uma valsa, um jingle. Uma cantiga de ninar.
Um soul para acalmar.
No meio, uma quizumba de oxalá, um funk com letra indecentemente ruim, ou um sertanejo de mau gosto.
Clássico de Mozart, ou nossa música que aparece de repente!
Aquela que vem pra emocionar!
Just because: all of me, loves, all of you!
Is you, is you!
Everything!
One day, after another!

E os dias estão indo com o vento... assim deixarei fluir... o amor vai fluindo, indo embora com o vento, até tornar-se esquecimento. Ou se imortalizar na fantasia.

Lembrei do texto: uma ideia toda azul, de Mariana Colassanti. Era uma ideia tão linda, tão maravilhosa. E foi guardada. Deixou de ser vivida. Quando foi ser resgatada, estava nova, intacta, mas já não era mais tempo. Morreu no tempo? Não... a ideia não. Mas o dono dela já não podia mais colocá-la em prática. Porque o tempo é cruel, às vezes...

Texto que merece ser relido! 






segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Here, there and nowhere

I am feeling so lost today... Where can I find me?
Maybe inside some flying song...

sexta-feira, 25 de março de 2016

Incomum



  Pensei em escrever algo
  Incomum e extraordinário
  Mas percebi que aqui dentro
  Os sentimentos andam lentos
  Borbulham em banho maria
  E cozinham em fogo baixo.

         Pensei então em desistir
          E fugir, comum de quem sofre
           Porém, extraordinariamente
            Enfrentarei o desafio
              E tentarei borrar as páginas
               Com loucuras e emoções
                 Pra dar algum sentido ao vazio
                   E esquentar ou congelar o morno!


terça-feira, 15 de dezembro de 2015

It's time to MOVE
Move towards happiness
Happiness for life
Life in a different way
Way against fear
Fear blocks ourselves
Ourselves needs to MOVE!

Embalando

No embalo sereno do meu corpo
Flutua minh'alma primaveril
No embalo ameno do meu canto
Mergulho meu ser num mar anil

No embalo do meu olhar profundo
Melódicas vozes ecoam no meu mundo
Vejo, então, um campo imenso florido
Simplesmente por ter me ouvido

E agora, o que será dessa semente
No  interior desse meu ser
Não mais adormecido?